Rua Marilia, 40 | São Paulo - BRA
+ 55 11 98300-6511

Qual a imagem do seu país? Análise do filme “Grande Hotel Budapeste”

Reading Time: 3 minutes

Hoje estava vendo o filme Grande Hotel Budapeste (2014), de Wes Anderson, e várias coisas me vieram à mente. Além de o diretor misturar atores de várias etnias, ele resolveu rodar o filme em Budapeste, capital da Hungria. Até aí, você foca na história, mas a grande sacada de filmes como esse é despertar o interesse em relação a algum país ou nação. Afinal, eu nunca tinha ouvido falar de Budapeste antes em minha vida, minhas referências do país são escassas – para não dizer nulas.

E você, já tinha ouvido falar em Budapeste antes?

Paisagem da Hungria.
Paisagem da Hungria.

 

Essa imagem que temos de um país é influenciada por diversos fatores: distância geográfica, diferenças culturais (Oriente e Ocidente, por exemplo), idioma, o que aparece na mídia, amigos, parentes, raízes biológicas, entre outros. Ora, basta abrir o jornal (ou ligar a TV, abrir o Facebook, dentre outros), que notamos a predominância de alguns países no Brasil: Estados Unidos (lidera sempre), Argentina, Alemanha, China, Europa (genericamente falando). Reparem.

Em seguida, essa segmentação vai variando conforme seus interesses pessoais e referências culturais. Ex: sou descendente de japoneses e moro em São Paulo, maior concentração de descendentes no mundo fora do Japão. Logo, possivelmente acesso tenho a mais informações sobre o país do que, por exemplo, um chileno. Ou se você mora no Rio Grande do Sul e é descendente de alemães, possivelmente terá acesso a mais informações sobre a Alemanha, e assim sucessivamente.

Como grande parte das pessoas não conhecerá todos os países do mundo, o que fica desses 193 países é apenas a imagem que temos deles. Ou seja, para sentirmos vontade de realmente conhecer um país, aprender seu idioma, consumir conteúdos relacionados a ele, precisamos ter ao menos algumas referências em nossa mente – e isso envolve uma estratégia de comunicação e marketing por parte dos países. Em texto anterior, já abordei esse assunto

E quem faz essas estratégias com maestria? Estados Unidos, claro, com a indústria de Hollywood que bombardeia filmes rodados em Nova York e Los Angeles; os artistas usando roupas com estampa da bandeira dos Estados Unidos; músicas exaltando o american lifestyle; blogueiros e influenciadores norte-americanos nas mídias sociais; e, juntamente a isso, marcas e empresas que também sentem orgulho de terem o selo dos Estados Unidos em sua criação. Sem contar história de grandes empreendedores, inovação, universidades bem rankeadas, entre outros.

Essa influência acaba criando interesse em buscar mais informações e até mesmo conhecer o local. Além disso, possivelmente as pessoas que vão aos Estados Unidos vão gostar e se identificar, pois já tiveram acesso a muito material sobre o país.

Elenco do filme "Grande Hotel Budapeste".
Elenco do filme “Grande Hotel Budapeste”.

 

Voltando ao filme: se o governo de Budapeste participou ou não do processo de execução do longa, pouco importa. O que importa é que o filme foi muito elogiado, ganhou 122 prêmios, incluindo 4 Oscar e ainda alavancou a marca Budapeste. Se alguém irá à cidade depois do filme, isso não é uma influência direta. Mas que nos despertou para Budapeste, despertou. Detalhe: o filme foi produzido nos Estados Unidos.

Se interessou pelo assunto? Descubra ações de nation branding exclusivas de Facebook em nosso e-book: As 10 melhores páginas de Facebook de Embaixadas. 

Related Posts

Leave a comment