Rua Marilia, 40 | São Paulo - BRA
+ 55 11 98300-6511

Whatsapp: por que é tão viciante?

Reading Time: 2 minutes

O assunto virou manchete nos principais portais de notícias, mídias sociais e rodas de conversa: WhatsApp fora do ar por 48 horas? Como assim?

 

laris_no_Twitter____48_horas_sem_Whatsapp__https___t_co_1haQmdoNy3___

lindu_no_Twitter____justiça_manda_bloquear_o_whatsapp_em_todo_Brasil_por_48_horas__https___t_co_IeGCFxEGWg___

Pjota_no_Twitter___O_bom_de_ter_bloqueado_o_WhatsApp_no_Brasil__é_que_o_trânsito_hoje__fluiu_que_foi_uma_beleza___WhatsApp__Blocked__Brazil__Fail___

Muitos memes e piadas foram ao ar na instantaneidade da web. Claro, tudo vira piada e interesse coletivo para a desgraça alheia. Mas a pergunta que fica é: por que um aplicativo é tão viciante?

A comunicação é inerente ao ser humano, que é sociável por natureza. Em se tratando da cultura brasileira, isso é ainda mais notório. Ainda assim, o WhatsApp parece que se tornou um híbrido de toda a nossa conexão humana: nossa comunicação familiar, amigos, profissionais, amorosas, enfim, tudo concentrado em um só local.

Por isso que é tão viciante.

Estar fora do ambiente em que todo mundo está – até aos avessos às mídias sociais – é como se isolar do mundo e ficar numa bolha. E isso justifica o nosso medo de ficar sem WhatsApp – que é o medo da solidão e da rejeição.

O mais interessante é como o WhatsApp representa nossa dependência do mundo digital e, sobretudo, que online e offline são uma coisa só em nossa vida.
WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat: não importa seu favorito. Como já falamos aqui, as mídias sociais  são parte de nossa realidade e está cada vez mais difícil ficar 24 horas ou até mesmo  alguns minutos sem elas…

Quer saber ainda mais sobre esse incrível comunicador instantâneo?

Baixe nosso e-book sobre o Whatsapp aqui!

Related Posts

Leave a comment